16 de dez de 2010

IBGE revela o que vai para mesa do paraibano; confira tabelas

Jocélio Oliveira
Gráficos de Ricardo Oliveira e Fernanda Paiva

Os paraibanos estão comendo menos arroz e feijão. A constatação é da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) do IBGE divulgada nesta quinta-feira (17). Foram divulgados dados sobre a “Aquisição Alimentar Domiciliar Per Capita e Avaliação Nutricional da Disponibilidade Domiciliar de Alimentos”. Os dados mostram qual é a participação relativa de cada intem na dieta do paraibano.

Em 2003 o arroz compunha em média 13,71% das refeições, o número caiu para 12,7% em 2009. A queda foi maior em relação ao feijão, que saiu de 11,96% para 7,7%. Nesse mesmo período aumentou o consumo de cereais, carnes, frutas, ovos, gorduras animais, açúcares, bebidas alcoólicas, condimentos e refeições prontas. Por outro lado, os paraibanos estão comendo menos raízes, verduras, óleos, gorduras vegetais e oleaginosas.

Alguns dos itens mais recomendados pelos nutricionistas como essenciais para uma alimentação saudável aparecem entre os menos consumidos pelos paraibanos. No gráfico, os dois últimos quadros mostram o quanto de “frutas e sucos” e “legumes e verduras” são consumidos em relação ao restante de outros grupos alimentares que compõem a dieta deles. Em números relativos, a participação é de 2% e 0,6%, respectivamente.

Chama atenção o aumento no consumo de bebidas alcoólicas, em especial cerveja. Em 2003 elas representavam 0,14% e agora é 0,4%, desse total, a cerveja tinha 0,07% e agora é 0,1%. O aumento foi ainda maior entre os pessoenses, que agora consomem 0,9% de bebidas, quando o número anterior era de 0,14%.

Mas o total de calorias consumidas pelo paraibano aumentou nesse período e está mais perto do ideal, partindo de 1.566,45 para 1.795, 54 kcal/dia. Entre os pessoenses a qualidade da dieta diária é ainda pior. O média total de kcal consumidas é de 1.436,15, número superior ao de 2003, que era apenas de 1.133,10.

O Ministério da Saúde preparou um Guia Alimentar para População Brasileira no qual recomenda uma ingestão diária de 2.000 quilocalorias como parâmetro médio ideal para um brasileiro saudável. No entanto, o nutricionista Pedro José Cruz, alerta que “esses valores variam de acordo com itens como altura e peso. Para homens, isso varia geralmente entre 2.000 e 2.500 kcal, e de 1.800 a 2.000 entre mulheres”.

fonte: paraiba1.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu comentário aqui.