31 de mar de 2011

Casamento traz mudanças para o relacionamento



Dividir responsabilidades e conviver com as manias do outro são só algumas características da nova fase


O amor pode ser lindo, pena que viver ao lado de uma pessoa especial não torne necessariamente as coisas mais fáceis. A boa notícia é que um pouco de jogo de cintura e maturidade resolvem boa parte dos problemas. Especialistas debatem as principais mudanças que o casamento traz e como lidar com cada uma delas.
Seu espaço agora é “nosso” espaço Depois do casamento, em casa, o espaço deixa de ser “seu” para ser “nosso”. É hora de dividir o quarto, a TV e o banheiro. Essa é uma das mudanças mais significativas depois do “sim”, principalmente para os casais que nunca moraram juntos. “Viver a intimidade e preservar a individualidade é como brincar de gangorra. A manutenção do equilíbrio requer esforço das duas partes”, diz a psicoterapeuta Iracema Teixeira, que ainda ressalta: "A individualidade não deve ser confundida com individualismo". Para casais que nunca moraram juntos, experiências de união – como viagens e finais de semana sob o mesmo teto – podem ser altamente benéficas, garante a psicoterapeuta Iara L. Camaratta Anton, autora do livro “O casal diante do espelho" (Editora Casa do Psicólogo). É uma forma de diluir aos poucos o impacto da divisão de espaço que chega com o casamento.
Divisão de tarefas é obrigação Na vida a dois, “dividir” é um dos verbos chave que os casais devem conjugar – salvo exceções, mães e pais não estarão por perto para resolver os problemas da casa.
De acordo com a psicoterapeuta Iracema Teixeira, a negociação deve ser clara. “Se o casal quer realmente criar um projeto de convivência, é necessário dividir as tarefas e obrigações. Não cabe mais a ideia de que o homem ajuda na casa, pois ajudar significa não ter compromisso com as tarefas de gerenciamento doméstico”, diz.
Iracema sugere que as divisões sejam feitas com base em critérios, como: a) a divisão de despesas deve ser proporcional aos ganhos; b) a divisão das tarefas deve levar em conta tempo livre e um possível prazer que a pessoa possa ter fazendo aquilo; c) ambos devem ficar com a responsabilidade de manutenção, como tirar a mesa, colocar as roupas sujas no lugar certo, não deixar o banheiro molhado depois do banho, entre outros.
Convivência e dia a dia Na época do namoro era mais difícil combinar as agendas. Agora, morando na mesma casa, por mais corrido que seja o dia, o encontro todas as noites é certo. A questão que muitos casais se colocam é: vai dar para sentir saudade assim?

Foto: Getty ImagesAmpliar
Convivência é o maior desafio
Provavelmente não, mas isso pode ser compensado de alguma forma. Os especialistas estimulam os casais a exercerem suas atividades individuais, aquelas que faziam deles pessoas interessantes na época do namoro. “Não existe prazo de garantia nas relações e a qualquer momento o ‘produto pode ser devolvido’. Por isso, é preciso cuidar para mantê-la prazerosa”, diz Iracema.
Segundo o psicoterapeuta Eduardo Ferreira-Santos, autor do livro “Casamento: missão (quase) impossível” (Editora Claridade), outro ponto importante para amenizar a overdose de convivência é não perder o romantismo. “Os casais precisam abrir espaço para namorar, se possível, como nos tempos que em que eram apenas namorados”, diz o psicoterapeuta. Brigas: Agora não dá mais para ir embora Problemas fazem parte da rotina dos casais e os contratempos se revelam mais frequentes com a convivência estreita. Discutir sob o mesmo teto é algo que vai acontecer, o único cuidado, na observação de especialistas, é não fazer disso um hábito e, quando acontecer, tentar estabelecer limites e não cruzar a linha da ofensa. “Não agredir aos principais valores de um ou de outro", diz Iara L. Camaratta Anton.
Evitar o embate, no entando, não é o caminho. “É melhor brigar do que deixar essas conversas pendentes. Não raro esses assuntos se tornam infecções encapsuladas que mais tarde revelam-se impossíveis de serem curadas”, diz o psicólogo Ailton Amélio.
Aturar as manias do outro Zapear os canais de TV nunca foi um problema. Mas agora, que o parceiro faz isso todos os dias, acaba irritando. “Aquilo que era tolerado na fase de namoro costuma não ser mais tão romântico assim”, descreve Ferreira-Santos. E a lista de motivos de discórdia no dia a dia é extensa: desde beber água gelada diretamente na garrafa até a demora no banho, tudo pede tolerância.
A pergunta é: por que não resolveram estas questões antes de se unirem? É verdade que o convívio revela mais de cada um, contudo, alguns acordos podem ser feitos previamente. Enquanto um está assistindo ao seu programa preferido, o outro não toca no controle remoto, por exemplo. Proximidade com a nova família Outra mudança que pode atrapalhar o relacionamento dos recém-casados é a nova família, um terceiro elemento no casamento. Ferreira-Santos dá a dica para que os parentes – especialmente do outro – não interfiram na vida a dois: “Há uma tendência enorme de interferência da família. É preciso muita maturidade e paciência para superar esta fase. Proponho que o casal faça um ‘contrato’ que contemple todas estas situações”, diz ele. Para Iara, o marido “filhinho da mamãe” costuma virar alvo de disputa. "Cabe lembrar que esses conflitos não são unilaterais, são recíprocos, mulheres disputando os homens de suas vidas, filhos, maridos e pais”, diz a psicoterapeuta, que ainda completa: “É preciso um bom grau de autoestima e de amor pelo outro para não entrar nesse tipo de conflito”, garante.
IG MULHER

Ricardo vai anunciar projeto para facilitar legalização de motos no interior

Plano de 100 dias terá foco em ações sociais, revela secretário


O secretário chefe da Casa Civil, professor Lúcio Flávio, deixou escapar durante entrevista a programa de TV, que um dos projetos que deve ser apresentado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) nos próximos dias dentro das ações em comemoração aos 100 dias de governo, é algo que facilite a legalização de motos no interior do estado.

Lúcio Flavio disse ainda que o foco do governo nestes primeiros meses de governo é a área social e citou exemplo de lei que isenta dopagamento de passagens pacientes e acompanhantes para tratamento do câncer e o programa Paraíba Integrada.

“São ações, obras, que não são de pedra e cal, mas atingem de maneira impactante a parcela mais carente da população”, destacou.

Sobre o projeto que deve facilitar a legalização de motos, principalmente no interior do estado, o secretário preferiu não falar muito por que o anuncio deve ser feito pelo governador.

“Temos no interior a substituição de cavalos por motos, e na maioria das vezes esse veículos não estão legalizados, por que custa caro tirar habilitação e renovar o licenciamento. Então teremos algo neste sentido que posso adiantar mais por que se não levo um puxão de orelha”.

WSCOM Online

Europeus fornecem a mais exata imagem da gravidade na Terra


Dados enviados por satélite à ESA (Agência Espacial Europeia), durante dois anos, possibilitaram o estudo preciso da gravidade do planeta Terra de uma forma inédita.

Os cientistas agora detêm um dos mais exatos modelos geoide (forma mais aproximada do nosso planeta, visto que ele não é totalmente redondo) do lugar onde vivemos.

Gravidade da Terra revelou em detalhes sem precedentes



A imagem foi divulgada nesta quarta-feira durante uma conferência em Munique (Alemanha).

No estudo apresentado pela ESA, com imagens fornecidas pelo satélite Goce (sigla em inglês de Explorador da Circulação Oceânica e do Campo Gravitacional), considerou-se a gravidade do geoide sem a ação de marés e de correntes oceânicas.

O modelo serve como referência para medir a movimentação dos oceanos, a mudança do nível do mar e a dinâmica do gelo, o que pode abrir precedente para entender com maior profundidade as mudanças climáticas.

Além desses dados oceanográficos, também servirá para o estudo da estrutura interna do planeta --como os processos que levam à formação de terremotos de grande magnitude e que podem provocar danos devastadores, como aconteceu com o Japão no sismo de 11 de março.

Do espaço, é praticamente impossível para os satélites observarem a dinâmica dos tremores, visto que o movimento das placas tectônicas ocorre abaixo do nível dos oceanos.

Contudo, explica a ESA em seu site, os tremores costumam deixar um "rastro" na gravidade do planeta, o que pode ajudar a entender o mecanismo de um terremoto e, quem sabe, antecipar sua ocorrência.

FOLHAONLINE

Adriano promete processar jornal carioca: “Não vou deixar que falem qualquer coisa”


Imperador se irritou com matéria que traz suposta gravação sua zombando da polícia

A entrevista de Adriano em sua apresentação no Corinthians corria tranquila, com sorrisos distribuídos pelo Imperador, até que um repórter questionou o jogador sobre uma reportagem publicada pelo jornal O Dia que traz uma suposta gravação telefônica em que o atleta zomba da polícia e diz não temer ser parado em uma blitz.

Irritado, Adriano prometeu processar a publicação e disse que, por questões com essa, não gosta de falar com a imprensa.

- Você está vendo por que às vezes não gosto de falar com a imprensa? Quero que provem isso e vou processar se não for verdade. São policiais para ter essa gravação? Inventam um monte de coisas de mim. É impressionante.

O Imperador aproveitou para criticar os fotógrafos que, segundo ele, o seguem no Rio.

- Fui ao shopping com meus filhos e tinha um monte de paparazzi. Saiu alguma foto? Não saiu, pois coisa boa não vende. Se eu estivesse com um copo de cerveja, ai vendia.

Adriano disse que tomará providências para que sua imagem não continue sendo denegrida.

- Tenho que dar um fim nisso. Não posso mais ficar quieto, deixando as pessoas falarem. Não vou deixar ficarem falando qualquer coisa.

Durante a entrevista, Adriano também se incomodou com perguntas relacionadas a seu ex-agente Gilmar Rinaldi. Pediu para não ser mais questionado sobre sua ruptura com o empresário.

- Falar sobre o Gilmar é muito complicado. Não estamos mais juntos, mas tenho muito carinho por ele. Se for possivel, por favor, peço para não perguntarem mais sobre isso.

Doente?

Outro assunto que mexeu com Adriano foi sobre uma suposta "doença" que incomodaria o jogador e impediria um melhor desempenho em campo. Abordado sobre o tema, Adriano não escondeu que já teve problemas, mas, sem revelá-los, garantiu estar curado.

- Todo mundo sabe o que aconteceu comigo há um tempo atrás. Eu realmente precisava de um acompanhamento, pois estava mal e nunca escondi de ninguém. Voltei ao Rio de Janeiro para dar um tempo e curar essa parte. Hoje, graças a Deus, estou curado. Se tenho uma doença, essa doença é minha família, pois sou muito apegado a ela e falo isso abertamente. Não vejo qualquer problema em dizer que hoje não saio mais de perto deles.

R7

Sobre ser um bom professor no Brasil


Em uma pesquisa realizada pelo movimento “Todos pela Educação”, entidades nacionais e internacionais deram sua opinião sobre o que é ser um bom professor. O resultado pode ser conferido no boletim desta semana.

Os entrevistados destacaram vários pontos em comum, como a formação compatível dos profissionais da educação, salário digno, oferta de tempo e condições adequadas para que o professor prepare suas aulas.

Quem não gostaria de poder dizer que é feliz porque faz o que gosta e ainda é remunerado pelo trabalho? Infelizmente esse ideal está longe da carreira do magistério da educação básica. Falta estímulo ao professor, valorização, infraestrutura, salário digno. Sem perspectivas na carreira, é comum o desânimo e estresse entre os educadores.

Além disso, o muro da escola não deve ser visto como uma barreira física. A educação de qualidade que defendemos pressupõe a total integração entre a comunidade e a escola. Pais, diretores, professores, funcionários e alunos devem estar unidos para buscar soluções que alterem a realidade da educação.

Há quem pensa que lecionar é para quem não teve oportunidade melhor na vida. Mas ser educador é uma escolha. Escolha de quem ainda acredita que é por meio da educação que se formam cidadãos de bem. A CNTE luta por isso.

CNTE


Vida nova na terceira idade: aos 70, virou estudante compulsiva

Foto: Tatiana GerasimenkoAmpliar

Neuza está na "idade da juventude acumulada"

Após cuidar dos pais, dos filhos e dos netos, Neuza começou a olhar para si mesma e decidiu se atualizar. Já fez mais de 30 cursos

Ela não gosta de ser chamada de senhora, não curte o termo “feliz idade” e considera que a vida seja uma sucessão de momentos de “melhor idade”. Sabe, entretanto, que tudo pode recomeçar a qualquer momento, preferindo por isso a expressão “idade da juventude acumulada”.

Neuza Guerreiro de Carvalho é obcecada pela memória. Ainda bem, afinal, tem boas histórias para contar: aos 80 anos, possui três estantes recheadas de pastas com minuciosas retrospectivas de sua vida, da dos filhos e até mesmo das noras e genros. Mas se engana quem pensa que a documentação sirva de estepe para os tropeços da mente. Lúcida e apaixonada pela vida, a blogueira do Vovó Neuza que arrastou outras mulheres para o grupo de oficinas de memórias batizadas de “Seminovas” - um diálogo sobre São Paulo e, sobretudo, suas percepções acerca do mundo – deu um passo adiante aos 70. “Foi quando minha mãe morreu que as coisas começaram a mudar, porque meu marido já tinha morrido, meus filhos estavam seguindo suas vidas”.

Diante das circunstâncias, e não da idade (como ela faz questão de ressaltar), teve a oportunidade de fazer o que sempre quis - dar fôlego ao seu lado “estudante compulsiva”. Graduada em 1951 em História Natural pela Universidade de São Paulo, voltou a frequentar a USP em 2005 por meio do Programa Universidade Aberta à Terceira Idade. O desejo era antigo. “Pouco antes de me aposentar pensei em voltar a estudar, mais para me atualizar”, conta Neuza. “Fiz instrumentação cirúrgica, só que tudo era difícil com pai, mãe, filhos, netos”. Somente livre das responsabilidades da casa conseguiria finalmente se dedicar aos mais de 30 cursos finalizados desde então. Sua sede de conhecimento foi muito além da Biologia, e hoje ela exibe orgulhosa certificados que passam pelos mais diferentes campos do saber: psicologia, literatura, jornalismo, música, artes, etc.

Foto: Tatiana GerasimenkoAmpliar

Cursos em diferentes campos do saber: psicologia, literatura, jornalismo, música, artes e outros

Garota-propaganda da universidade
Tanto conhecimento e tantos registros não poderiam passar despercebidos. Por fim, começaram a ser compartilhados. Primeiro, com o site do Museu da Pessoa, para o qual Neuza escrevia. Vendo que tinha muito a contar, optou por criar seu próprio espaço na internet. “Meu filho disse para eu fazer um blog e eu pensei 'blog é para jovem', mas ele insistiu dizendo que eu não seria obrigada a fazer nada, faria o que eu quisesse”, diz ela, falando que hoje sua resistência existe em relação ao facebook (embora, sim, já tenha um perfil criado ali e que admita que uma hora terá que aderir). “Quando eu falava que tinha blog, todo mundo dava risada, mas tem gente que lê, sim”. Lêem, porque o que ela conta no blog é o testemunho de diferentes épocas.

Seus planos são muitos. “Tem noites que nem consigo dormir direito, porque é tanta coisa que passa na minha cabeça, tantas ideias, tantas associações”, comenta. Não sem razão, virou “garota-propaganda” da USP, aparecendo na capa e em diversas páginas do livro com a programação dos cursos para terceira idade, além de estar estampada em um outdoor na Cidade Universitária. Suas iniciativas tornaram-se exemplo para outras mulheres e homens, que se esforçam para resgatar o que havia sido antes concedido apenas na mocidade.

Para ela, no entanto, a juventude e todo o processo de amadurecimento ficam guardados em um pequeno baú, que ela chama de “caixinha da memória”, onde fichas temáticas reproduzem sensações de diversas experiências da vida. É o caso, por exemplo, da sua primeira relação sexual, que ganhou um papelzinho específico com a lembrança inclusive do que almoçou no dia seguinte. Se relembrar é viver, Neuza faz a lição de casa direitinho, mas nunca deixando de viver também para relembrar, e ser lembrada. “Se não fazemos retrospectivas, olhamos para trás e pensamos não ter feito porcaria nenhuma. Na hora que colocamos no papel, vemos quantas coisas conquistamos”.


DO IG MULHER

Aceitou Jesus: Dona de 'Locadora de Mulher' desiste de abrir estabelecimento e vira evangélica


Fachada da Locadora de Mulher
Fachada da Locadora de Mulher

A dona do bar 'Brega e Chick', que ficou conhecido como 'Locadora da Mulher' na cidade de Cajazeiras, no sertão do estado, decidiu, na manhã desta quinta-feira (31), fechar de vez o estabelecimento. Isso porque ela aceitou Jesus e decidiu virar evangélica da Igreja Assembléia de Deus.


Segundo Carla Simone Braga, ela analisou todos os comentários das pessoas durante todo esse processo e constatou que a maioria dos comentários maldosos era de católicos. "Já havia frequentado a Assembleia de Deus, mas agora é pra valer", disse Carla.

Ela adiantou que procurou o pastor da igreja na manhã de hoje, mas não o encontrou. "Hoje à noite, eu vou ao meu primeiro culto. Fui muito bem aceita pela comunidade evangélica."

Carla Simone informou que não imaginava que o nome 'Locadora de Mulher' iria dá tanta polêmica e pediu desculpas à população de Cajazeiras e da Paraíba. E concluiu: "Finalmente, a polêmica teve um fim."

PORTAL CORREIO

Mais "gente" para mamar: Câmaras municipais terão vagas ampliadas


João Pessoa(PB) - A grande novidade nas Eleições 2012 será a mudança na composição das Câmaras Municipais, que terão o número de vagas vagas de vereadores ampliado, com base na Emenda Constitucional(EC) nº 58. Faltando um ano e sete meses para as próximas eleições, o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba(TRE-PB) já iniciou os preparativos para se adequar as mudanças. Na Paraíba, apenas 53 Câmaras vão aumentar o número de parlamentares, ocasionando 155 vagas a mais. Atualmente, a Paraíba tem 2.038 vereadores nos 223 municípios.


A chamada Emenda Constitucional dos Vereadores, que alterava a regra do número de parlamentares nas Câmaras, foi aprovada em 2008, mas somente entrará em vigor na próxima eleição por determinação do Supremo Tribunal Federal(STF). Mesmo com a PEC aprovada, na última eleição vigoraram as normas anteriores já estabelecidas. Na regra, por exemplo, municípios com população até 47.619 habitantes poderiam eleger nove parlamentares apenas.


O diretor-geral do TRE-PB, Leonardo Lívio Paulino, explicou que a equipe responsável pelas eleições vai elaborar projetos para fazer uma divulgação nos 223 municípios a respeito das mudanças na composição das Câmaras Municipais, e as possíveis alterações que possam ocorrer antes do pleito. “Vamos realizar campanhas em parceria com os meios de comunicação para esclarecer os eleitores das possíveis alterações e aumento da composição das Câmaras”.


Leonardo Lívio falou que a preparação para as eleições é um trabalho constante realizado pela Justiça Eleitoral. “O aumento nas vagas para vereadores não vai alterar os preparativos para 2012. Se houver aumento de trabalho será no quantitativo das urnas. A grande novidade nas próximas eleições é a implantação da ferramenta para navegar nas redes sociais, conectando o Tribunal com os internautas”.



TSE ainda não estabeleceu data limite
O Tribunal Superior Eleitoral(TSE) ainda não estabeleceu uma data limite para as Câmaras Municipais elaborem projetos de lei ordinária para validar a Emenda Constitucional dos Vereadores. Por meio da assessoria, o presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, informou que não existe ainda uma definição de como será aplicada a Emenda nas eleições municipais, porque o tema será levado ao Plenário da Corte. Em 2012, o Tribunal será presidido pela ministra Carmem Lúcia, que atualmente ocupa a vice-presidência.


Por enquanto, algumas perguntas continuaram sem respostas, entre elas: qual será o período dados para as Câmaras apresentarem os projetos de lei, um ano antes das eleições como acontece com as filiações partidárias; esse aumento no número de vereadores precisa ser comunicado aos Tribunais Regionais Eleitorais; e se os Poderes Legislativos Municipais serão obrigados a provar, através do projeto de lei, o número de vagas para as eleições em 2012.



Veja em quantos municípios poderão acontecer mudanças:

Em 170 Municípios fica igual (76,24% dos Municípios)


Em 37 Municípios aumentam 2 Vereadores (16,59% dos Municípios)


Em 6 Municípios aumentam 4 Vereadores (2,69% dos Municípios)


Em 5 Municípios aumentam 5 Vereadores (2,24% dos Municípios)


Em 4 Municípios aumentam 6 Vereadores (1,79% dos Municípios)


Em 1 Município aumentam 8 Vereadores (0,45% dos Municípios)



Buba explica
Para o presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba(Famup) e prefeito de Picuí, Rubens ‘Buba’ Germano(PSDB), a nova regra não vai alterar a receita corrente líquida das Prefeituras. “O repasse que eu faço mensalmente de 7% não será alterado com a PEC. Em Picuí temos nove vereadores que dividem os recursos repassados do duodécimo. Em 2014, serão 11 parlamentares aumentando a receita”.


O prefeito de Patos, Nabor Wanderley(PMDB), acha que o aumento dos parlamentares, de 11 para 17, será importante porque a população terá mais representatividade na Câmara. “A lei não vai onerar em nada. O que deve ocorrer é um ajuste entre os vereadores”.



Em Santa Rita, aumento maior
O maior aumento das vagas nas Câmaras Municipais da Paraíba, em termos de cadeiras, vai acontecer em Santa Rita, cidade da Grande João Pessoa. Os eleitores que até 2008 elegeram 11 vereadores, na próxima eleição deverão escolher 19. Um aumento de oito parlamentares que deve gerar despesa financeira para uma Casa Legislativa que recebe, mensalmente, R$ 305 mil, paga R$ 6,3 mil de salários para os vereadores e não tem verba específica para os gabinetes. Para o presidente da Câmara Municipal de Santa Rita, Ednaldo de Edilícia(PR), os problemas são devido aos baixos recursos repassados e ao espaço que não consegue comportar, hoje, nem mesmo os parlamentares existentes.


Não temos uma legislatura independente, recebemos 5% do duodécimo da Prefeitura e os poucos recursos que disponibilizamos vai dificultar na hora de repassar para os 19 vereadores que vão passar a compor os quadros da Casa. Outro problema será com relação ao espaço físico do prédio. Só existem 10 gabinetes para 11 parlamentares. Eu e meu vice dividimos a mesma sala”.


Ednaldo de Edilícia disse que ainda não foi apresentado o projeto de lei para validar a PEC dos Vereadores. “Estou consultando o Setor Jurídico para saber como devo proceder na elaboração desse projeto que precisa ser apresentado, e depois de apreciado ser votado pelos parlamentares. Acredito que dentro de alguns dias será emitido um parecer a respeito”, informou.



Em João Pessoa
Na Câmara de João Pessoa, a ampliação das vagas será de seis vereadores. Atualmente, existem 21 parlamentares na capital, com o aumento, o número passará a ser de 27. O presidente da Casa Napoleão Laureano, vereador Durval Ferreira(PP), está preocupado com o aumento nas vagas e a redução nos repasses do duodécimo da Prefeitura, que anualmente chega a R$ 25 milhões.


Ele acredita que vai ser difícil acomodar a nova composição do legislativo. “Até julho, vou começar a construir os seis gabinetes, no anexo onde fica a garagem. Pretendo contar com a parceria da Prefeitura para ajudar na construção”.



Projeto em tramitação
O vereador Tavinho Santos(PTB) é o autor do projeto de Lei que fixa o número de vereadores no município. Ele informou que as Casas Legislativas de todo o país precisam apresentar um projeto para validar o número de vereadores. O projeto está em tramitação.



Em Campina Grande
Em Campina Grande, que atualmente conta com 16 vereadores, a Câmara Municipal vai ampliar suas vagas para 23, ou seja, sete parlamentares a mais. Esse aumento vai refletir diretamente nos recursos repassados pela Prefeitura. O Poder Legislativo vai precisar adequar os R$ 920 mil que são recebidos mensalmente de duodécimo à nova realidade. E, para quem estiver pensando nessas sete vagas já chega em desvantagem. É que, em Campina, que têm mais de um mandato, a verba des gabinete é maior.


O presidente da Câmara, vereador Nelson Gomes Filho(PRP), disse que é a favor do aumento de cadeiras, mas acredita que os parlamentares terão que reduzir os gastos. “Os vereadores mais antigos, que estão no segundo ou terceiro mandato, recebem mais que os de primeira legislatura. Tudo depende da divisão feita pela Mesa Diretora que decide as despesas de cada um”.



Câmaras podem não ampliar número
O gestor do Observatório de Informações Municipais da Organização Não Governamental Transparência Municipal, François Bremaeker, disse que é preciso chamar a atenção para a redação da PEC, que estabelece para cada faixa de população o número máximo de vereadores. “Isso não quer dizer que este número seja adotado. Pode ser definido na Lei Orgânica do Município um número menor. Portanto, as Câmaras Municipais que já estão no limite dos gastos permitidos, podem optar por um número maior ou manter o número anterior”.


Na redação da Proposta de Emenda Constitucional Nº 58 é feita uma observação no limite máximo de vereadores. “Não se fala de limite mínimo, mas de máximo, ou seja, pode ser abaixo do referido na PEC. A PEC é um parâmetro máximo. Ninguém pode ir acima, mas pode ficar abaixo”, ressaltou o pesquisador. François explica que caso as Câmaras adotem o limite superior permitido pela PEC, o número de vereadores na Paraíba chegaria a 2.193, a partir dos dados de população de 2010. Portanto, o máximo de Vereadores que poderia crescer no Estado seria de 155 parlamentares. “Em 170 casos o número de vereadores não altera”.


Sousa e Cajazeiras aprovam projetos de lei
Em 2012, as Câmaras Municipais de Cajazeiras e Sousa, no Sertão do Estado, passarão a ter 15 vereadores. Hoje, elas possuem 10 parlamentares, cada. Em Sousa, que tem 65,8 mil habitantes, a mudança no número de vagas ocorreu em fevereiro.


O presidente da Câmara, vereador Cacá Gadelha(PMDB), lembrou que nas legislaturas de 1992 a 1996, e de 1996 a 2000, o município contava com 17 vereadores. Mesmo com a redução, o presidente acredita que a Câmara terá que promover adequações em suas estruturas físicas para abrigar os novos cinco legisladores, que serão eleitos no próximo ano.


A Câmara de Cajazeiras também não deixou a adequação para última hora, também em fevereiro, aprovou o projeto de lei, aumentando para 15 a quantidade de vereadores. “Para que não tivéssemos problemas com o prazo, aprovamos, criando mais cinco vagas para vereadores”, disse o presidente, Marcos Barros(PSDB). O projeto foi apresentado pela Mesa Diretora e aprovado por unanimidade.

JORNAL CORREIO