30 de nov de 2011

EUA e Europa decidem punir Facebook


O Facebook e a Federal Trade Commission (FTC), órgão do governo americano, anunciaram na tarde desta terça-feira (29) que chegaram a um acordo para que o Facebook solucione as acusações sobre violações à privacidade dos usuários da rede social.

Com o acordo publicado no site da FTC, o Facebook aceitou que auditorias independentes tenham acesso a todos os bancos de dados dos usuários e registros do sistema por 20 anos. Assim, será possível que as auditorias verifiquem se a empresa respeita as políticas de privacidade publicadas em seu site.
Em uma mensagem no blog oficial, Zuckerberg admitiu que o Facebook cometeu erros em relação a privacidade de seus usuários. "Sou o primeiro a admitir que cometemos vários erros. Em particular, acho que um pequeno número de erros muito divulgados, como o projeto Beacon e nossas mudanças de privacidade de dois anos atrás, acabaram escondendo o bom trabalho que fizemos", disse o executivo.
O acordo também proíbe o Facebook de fazer declarações falsas sobre a privacidade ou segurança dos dados informados pelos internautas que usam a rede social; solicita que o site peça consentimento dos usuários antes de compartilhar qualquer informação ou antes de alterar a política de privacidade vigente; obriga o Facebook a prevenir que qualquer pessoa acesse os dados de um usuário após 30 dias da exclusão de uma conta; obriga a rede social a criar um programa interno para assegurar a execução de suas políticas de privacidade; e estabelece que a primeira auditoria externa será realizada em 180 dias.
O acordo foi anunciado após anos de negociação entre o Facebook e a FTC, que começou em dezembro de 2009, quando o Facebook modificou sua política de privacidade sem o consentimento dos usuários e diversas informações que foram primariamente classificadas como privadas se tornaram públicas. Depois disso, a FTC também notificou o Facebook por permitir que sites de terceiros acessassem informações pessoais dos usuários.
No anúncio sobre o acordo, a FTC frisa que o Facebook não cumpriu as promessas sobre privacidade que fez aos usuários. Entre elas, a rede social afirmou que ao classificar um conteúdo como "Só para amigos", ele não seria compartilhado com outros usuários, o que não era verdade. Outra "mentira", segundo a FTC, tem a ver com a segurança de alguns aplicativos usados na rede social que, na verdade, o Facebook nunca assegurou.
"O Facebook será obrigado a cumprir suas promessas sobre privacidade que faz a milhões de usuários. A inovação do Facebook não precisa acontecer às custas da privacidade dos consumidores", diz Jon Leibowitz, presidente do conselho da FTC. A FTC colocará o acordo em consulta pública pelos próximos 30 dias. Caso o Facebook não cumpra o acordo, a FTC cobrará uma multa de US$ 16 mil por dia. Além do Facebook, o Twitter já fez um acordo semelhante com a FTC sobre a privacidade dos usuários.
Europa também define políticas
Na Europa, o Facebook também terá que se ajustar a uma nova lei de privacidade, que deve entrar em vigor em janeiro de 2012. De acordo com a nova regulação, a rede social não poderá vender informações pessoais dos usuários do Facebook  para terceiros, como empresas de publicidade, para direcionar anúncios. Segundo a Comissão Europeia, apesar de o Facebook armazenar os dados dos usuários nos EUA, terá que cumprir a legislação local, caso contrário será processado.
 IG

Luciano Cartaxo deu um tiro no pé


 No decorrer desta semana muito se falou sobre o aumento da violência em João Pessoa. Pesquisa divulgada pela imprensa aponta a nossa Capital como a quarta mais violenta do país, estatística triste que nos envergonha e preocupa.
O mote, lançado assim, foi um presente de natal para alguns políticos apressados em tirar proveito da novidade.
O deputado Luciano Cartaxo, sempre vigilante e atuante, não perdeu a oportunidade e meteu a lenha no lombo do governador Ricardo Coutinho, culpando-o pelo aumento da violência e cobrando dele aquele choque de gestão através do qual Ricardo prometia zerar a ocorrência de crimes na Paraíba.
Muito louvável a atitude do deputado, mas tem um porém, sempre tem um porém: a pesquisa se referia a índices de violência registrados no Estado da Paraíba entre os anos 2009 e 2010.
Nesse período, como deve estar bem lembrado o amigo leitor, Ricardo Coutinho ainda era prefeito de João Pessoa. O governador era Zé Maranhão e o vice, pasmem, era Luciano Cartaxo.
Ou seja, na ânsia de criticar por criticar, Luciano acabou atirando no próprio pé .
Claro que a violência hoje em João Pessoa está nas alturas. Todo fim de semana morre gente. Nossa juventude está acabando. Os bandidos da moto preta continuam matando em plena via pública e a polícia só faz registrar o óbito.
Mas em 2009 e 2010, quando a cidade de João Pessoa era a quarta mais violenta do país, o vice Luciano Cartaxo não fez nada para botar ordem na casa. Nem ele nem seu governador. Ambos ficaram assistindo de camarote. E agora vem Luciano querer tapear a gente. Isso é certo? É não. É hipocrisia, oportunismo, coisa de político que quer faturar na mídia para fazer média e ganhar votos. Afinal, Luciano é candidato a prefeito de João Pessoa. Pelo menos quer ser, já que uma banda do PT defende o apoio a Agra para continuar mamando nas tetas da Prefeitura.
Que Luciano aprenda, como aprendeu Luizinho de Calu ao escutar esse belo poema rimado: “Pra tudo precisa jeito/pra lavar roupa também/ se o dia não faz sol/ a roupa não quara bem/ quando o cabra ta sem sorte/ dá um peido, a merda vem”.

Blog do Tião Lucena

A POSSIBILIDADE DE UMA NOVA POLÍTICA ADMINISTRATIVA


Por Sebastião Santos*

Três meses e 12 dias depois de ter sido eleito representante de Nova Palmeira no Orçamento Democrático (OD) da 4ª Região Geoadministrativa, e quase três meses após minha escolha como Conselheiro Estadual do OD, fui empossado formalmente, no dia 28 de novembro, nessa instância de representação social.

Deixamos a informalidade e passamos a existir no campo institucional do atual governo. Entendemos os desafios e visualizamos as lutas. Serão muitas. E, muitas delas, terão como oponentes o oportunismo dos representantes políticos locais.

Os projetos de desenvolvimento, segundo a lógica da politicalha reinante, devem ter padrinhos e madrinhas. Devem ser atribuídos à benevolência de uns poucos “iluminados” e não ao esforço conjunto da sociedade. Devem ter dono e não serem frutos de uma demanda coletiva. Precisamos mudar isso.

O OD, de acordo com o que tenho observado em outros modelos administrativos fora dos limites da Paraíba, é um instrumento que ofusca o mandonismo político de coronéis estilizados, com pinta de modernos. É uma ágora que ainda engatinha num Brasil capitaneado pela velha política. Fazer esse instrumento político-social fortalecer seus músculos e caminhar de pé, é um desafio para os conselheiros e para a Paraíba como um todo.

Que cada conselheiro eleito pelo povo e empossado pelo governador se torne um elo entre a sociedade e o estado, faça valer o seu desafio e se desvincule das manobras políticas convencionais.

Aos 106.596 habitantes do Curimataú deixo estas palavras de compromisso e me coloco à disposição de cada um para construir alternativas democráticas para o desenvolvimento da região. Sem compadrio, padrinhos, madrinhas, agregados e aderentes do velho modelo político.


* Sebastião Santos é pedagogo, especialista em educação de jovens e adultos, professor efetivo da educação básica na rede pública municipal de Picuí e Nova Palmeira, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Curimataú e do Conselho de Educação de Nova Palmeira, integra o Coletivo Estadual de Formação da Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT-PB), é membro do Conselho do Orçamento Democrático da Paraíba na 4ª Região Geoadministrativa e no conselho estadual.

Ação contra Efraim Morais e outros 3.883 servidores do Senado obriga devolver dinheiro

Porto Alegre (RS) - A Justiça Federal do Rio Grande do Sul aceitou o pedido de liminar para determinar a devolução dos valores recebedos por funcionários do Senado como horas extras durante o período de recesso parlamentar. A juíza Vânia Hack de Almeida, da 5ª Vara Federal de Porto Alegre, determinou a imediata restituição dos valores pagos indevidamente no mês de janeiro de 2009 pelo Senado.

A ação popular foi proposta pelos advogados gaúchos Irani Mariani e Marco Pollo Giordani contra os senadores Garibaldi Alves (PMDB-RN) e Efraim Morais (DEM-PB) e contra 3.883 servidores do Senado beneficiados pelos pagamentos.

A juíza destacou que um grande número de servidores já havia restituído espontaneamente os valores recebidos, o que, segundo ela, "corrobora a forte plausibilidade da tese da ilegalidade do ato administrativo, aliado ao fato de que o Senado não consegue informar sobre o controle da prestação do serviço de caráter extraordinário".

A citação dos servidores beneficiados com os pagamentos de horas extras em janeiro de 2009 será feita por edital, excluindo-se os que procederam a devolução dos valores. A lista deverá ser publicada no Diário Oficial, por três vezes, e afixada no saguão da sede da Justiça Federal em Porto Alegre e do Senado.

Os descontos na folha de pagamento devem observar o limite de 10% da remuneração mensal recebida pelo servidor. Os valores serão atualizados desde a data do pagamento.


Consultor Jurídico

Marcelinho Paraíba presta depoimento em Campina Grande sobre estupro a uma menor

Marcelinho Paraíba

De acordo com informações da TV Correio de Campina Grande, o jogador de futebol Marcelinho Paraíba vai prestar depoimento daqui há pouco na Central de Polícia.
O jogador e vários amigos vão prestar depoimento sobre um suposto estupro ocorrido na madrugada desta quarta-feira (30) na granja de propriedade do jogador.
Uma menina teria sido estuprada durante uma festinha particular. As primeiras informações apontam que a menor é irmã de um delegado.
A granja de Marcelinho Paraíba está situada na Rua: Gonçalves Dias, no bairro Nova Brasília.
Portal Correio

PRF apreende vaca dentro de Kombi com registro de furto


Veículo tinha o número do chassi raspado

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagrou uma vaca sendo transportada dentro de uma Kombi na madrugada desta terça-feira na BR-290 em Eldorado do Sul, região metropolitana de Porto Alegre. Além do animal, dois adultos, dois adolescentes e uma criança estavam no veículo, que havia sido furtado. As pessoas foram encaminhadas à delegacia.

A Kombi foi parada por volta das 2h no km 122 da rodovia. O veículo tinha o número do chassi raspado e placas de Alvorada, mas que eram clonadas. Os agentes então consultaram o sistema e descobriram que o carro havia sido furtado em Viamão no último sábado. Dois dos ocupantes da Kombi também tinham passagem criminal por receptação.

A Kombi foi apreendida e a vaca encaminhada para o Instituto Nacional de Proteção ao Meio Ambiente (Inpama). Não ficou esclarecida a procedência e para onde estava sendo levado o animal.

Terra 

Presos acusam gerente de facilitar assalto a agência dos Correios em Lagoa Seca


A prisão de dois irmãos acusados pelo assalto a uma agência dos Correios na cidade de Lagoa Seca trouxe uma surpresa: o gerente do estabelecimento pode estar envolvido no crime.

Irmãos presos acusam gerente

A suspeita foi levantada, após Tiago Costa Procópio, 26, e a estudante da UFCG Mayara Caroline Costa Procópio, 19 anos, durante depoimento confessaram a polícia que Jamílson Rocha Dantas, de 43 anos, gerente dos Correios, seria o mentor o assalto.

Conforme os irmãos criminosos, Jamilson Rocha teria passado informações privilegiadas sobre o horário em quem o carro-forte faria o abastecimento da agência.

De acordo com o delegado Antônio Lopes Filho, da Delegacia de Lagoa Seca, a polícia está procura do gerente. Ele deverá prestar depoimento para confrontar com as declarações dos acusados pelo assalto.

Portal Correio

OPINIÃO: A POSSIBILIDADE DE UMA NOVA POLÍTICA ADMINISTRATIVA



Por Sebastião Santos*

Três meses e 12 dias depois de ter sido eleito representante de Nova Palmeira no Orçamento Democrático (OD) da 4ª Região Geoadministrativa, e quase três meses após minha escolha como Conselheiro Estadual do OD, fui empossado formalmente, no dia 28 de novembro, nessa instância de representação social.

Deixamos a informalidade e passamos a existir no campo institucional do atual governo. Entendemos os desafios e visualizamos as lutas. Serão muitas. E, muitas delas, terão como oponentes o oportunismo dos representantes políticos locais.

Os projetos de desenvolvimento, segundo a lógica da politicalha reinante, devem ter padrinhos e madrinhas. Devem ser atribuídos à benevolência de uns poucos “iluminados” e não ao esforço conjunto da sociedade. Devem ter dono e não serem frutos de uma demanda coletiva. Precisamos mudar isso.

O OD, de acordo com o que tenho observado em outros modelos administrativos fora dos limites da Paraíba, é um instrumento que ofusca o mandonismo político de coronéis estilizados, com pinta de modernos. É uma ágora que ainda engatinha num Brasil capitaneado pela velha política. Fazer esse instrumento político-social fortalecer seus músculos e caminhar de pé, é um desafio para os conselheiros e para a Paraíba como um todo.

Que cada conselheiro eleito pelo povo e empossado pelo governador se torne um elo entre a sociedade e o estado, faça valer o seu desafio e se desvincule das manobras políticas convencionais.

Aos 106.596 habitantes do Curimataú deixo estas palavras de compromisso e me coloco à disposição de cada um para construir alternativas democráticas para o desenvolvimento da região. Sem compadrio, padrinhos, madrinhas, agregados e aderentes do velho modelo político.


* Sebastião Santos é pedagogo, especialista em educação de jovens e adultos, professor efetivo da educação básica na rede pública municipal de Picuí e Nova Palmeira, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Curimataú e do Conselho de Educação de Nova Palmeira, integra o Coletivo Estadual de Formação da Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT-PB), é membro do Conselho do Orçamento Democrático da Paraíba na 4ª Região Geoadministrativa e no conselho estadual.

Procurador aciona Tribunal de Justiça e denuncia prefeito do Sertão por nepotismo


De acordo com a denúncia de Oswaldo Trigueiro, o prefeito empregou sua família e as famílias do vice-prefeito e dos secretários municipais.
O procurador Geral de Justiça, Oswaldo Trigueiro, protocolou no Tribunal de Justiça (TJ) da Paraíba uma denúncia contra o prefeito da cidade de Paulista, Severino Pereira, por crime de nepotismo na administração municipal.
A denúncia foi baseada no relatório final da CPI do nepotismo, instaurada na Câmara Municipal, onde constatou que o prefeito contratou dezenas de parentes, além de empregar a família de do vice-prefeito e dos secretários municipais na sua gestão.
O Tribunal de Justiça já citou o prefeito da cidade para apresentar defesa.
DIÁRIO DO SERTÃO
 

Três crianças são estupradas no Sertão em menos de 72 horas; uma delas tem apenas 5 anos de idade


No segundo caso de estupro, uma das meninas teria informado a PM do Vale do Piancó que os acusados lhe ofereceram R$ 10 para fazer sexo com eles.
Três casos de estupro a crianças em menos de 72 horas foram registrados no Vale do Piancó e revoltou a população sertaneja. O primeiro caso ocorreu nesse domingo (27), contra uma criança de apenas 05 anos de idade.
O vendedor José Everaldo, de 39 anos, residente na cidade de Piancó, é acusado de praticar o crime. A criança mora no Sitio Barrinhos, Zona Rural de Santana dos Garrotes.
A denúncia foi registrada na delegacia de Santana dos Garotes pelo Conselho Tutelar da cidade. O acusado foi preso, mas disse a polícia que não chegou a estuprar a menina.
Já nessa segunda-feira (28), as vítimas foram duas meninas, uma de 09 e outra de 12 anos, também moradoras da Zona Rural de Santana de Mangueira. Os acusados são o mototaxista Damião Alves, que foi preso e o outro identificado apenas por “Totó Antero”, que está foragido.
De acordo com informações do 13º Batalhão de Polícia Militar, uma das meninas teria informado que os acusados ofereceram R$ 10,00, para que elas fizessem sexo com eles.
O mototaxista nega as acusações e disse que vai provar sua inocência.
DIÁRIO DO SERTÃO

29 de nov de 2011

APLP acusa Governo do Estado de não pagar Piso Salarial Nacional


Segundo Fernandes, valores constantes da tabela salarial dos professores ainda são os mesmos pagos no governo passado

O presidente da Associação dos Professores de Licenciatura Plena da Paraíba (APLP), Francisco Fernandes, está acusando o Governo do Estado de praticar manobra que prejudica, salarialmente, o magistério público estadual.

Segundo ele, os valores constantes da tabela salarial dos professores ainda são os mesmos pagos no governo de José Maranhão.

Para não cumprir o Piso Salarial Nacional, assegurado em legislação federal, em 2011, o Governo Ricardo Coutinho (PSB) incorporou a Gratificação de Estímulo à Docência (GED) aos vencimentos já existentes, extinguindo-a, abruptamente.

Ainda segundo o professor  Francisco Fernandes, o Governo, com essa ‘manobra’, além de desrespeitar a Lei do Piso, põe fim a uma conquista histórica da categoria, com a extinção da GED, que vinha sendo paga, desde o primeiro Governo Cássio Cunha Lima (PSDB), elevando os vencimentos básicos da Classe em 40 por cento.

WSCOM

'Não sou mais um monstro', diz soldado que fez transplante completo de rosto


Ele era visto com repulsa por estranhos e as crianças fugiam dele chamando-o de "monstro". Mas um transplante completo de rosto - apenas o terceiro nos EUA - promete transformar de vez a vida de Mitch Hunter.

Quando bati à porta da sua casa, em um subúrbio de Indianápolis, não sabia o que esperar. Eu tinha visto fotos de Mitch antes e depois de dez anos de cirurgia plástica, mas não depois do transplante completo, feito há apenas quatro meses.

Ele abriu a porta segurando seu filho Clayton, de 18 meses, nos braços. O que vi me deixou impressionado.

Mitch não é mais o jovem bonito que era, mas a transformação em comparação ao rosto de seis meses atrás é surpreendente. Olhando para pai e filho, é possível até ver os traços familiares.

Ele tinha 20 anos quando o carro em que ele estava bateu em poste contendo cabos de eletricidade de 10 mil volts.

Enquanto tentava resgatar uma passageira que também estava no carro, recebeu uma descarga elétrica que lhe deixou sem uma perna e com o rosto totalmente queimado.

Nos dez anos seguintes, passou por inúmeras cirurgias para reconstruir o rosto - mas os resultados não passavam de remendos.

'Monstro'


Foi o nascimento do filho Clayton que levou Mitch a optar pelo transplante completo de rosto - apenas o terceiro feito nos EUA.

"Vi muitas crianças correrem para se esconder atrás das mães porque ficavam muito assustadas quando me viam", contou.

"Isso estava ficando difícil, porque meus amigos começaram a ter filhos, depois meu irmão teve um filho. Quando tive Clayton, não quis mais que as crianças tivessem medo de mim."

A operação, realizada em abril, foi financiada por uma iniciativa entre o hospital Brigham and Women's, em Boston, e as Forças Armadas americanas.

O número de soldados que regressam do conflito no Afeganistão com o rosto e membros mutilados levou os militares a financiar pesquisas na área de reparação plástica, incluindo transplantes de mão e rosto.

Sob a coordenação do cirurgião Bohdan Pomahac, o hospital já realizou três transplantes completos de rosto e já tem outros cinco em vista.

Para ser elegível para uma cirurgia completa, o paciente precisa ter pelo menos 25% do seu rosto danificado. Pomahac acredita que pelo menos 200 a 300 veteranos de guerra preenchem o critério.

Surpreendentemente, encontrar um doador não é tão difícil. O médico explica que prefere doadores jovens e do mesmo sexo, embora reconstruções computadorizadas sugiram que transplantar o rosto de uma mulher em um homem possa funcionar. Isto ainda não foi tentado.

O rosto é transplantado em toda sua espessura, mas o que realmente determina o visual final do rosto é a estrutura óssea da face do paciente.

No caso de Mitch, a operação correu bem. A equipe removeu a face antiga de Mitch antes de sobrepor a nova.

Pomahac conectou artérias a três nervos do corpo de Mitch no novo rosto. A nova cara do paciente, com nariz, lábios e músculos, foi então costurada no seu lugar. A operação - a segunda do cirurgião - durou 14 horas, um pouco menos que a sua primeira.

"Quisemos simplificar a operação para torná-la mais fácil de repetir, e acho que conseguimos isso", disse o médico. "Mas a cada operação aprendemos uma enormidade de coisas."

Recuperando os sentidos


Mitch conta que, no início, o rosto estava muito inchado. "Parecia o rosto de um sujeito de cem quilos", afirmou. À medida que o inchaço diminuía, os traços ficavam mais definidos.

Entretanto, o irmão de Mitch, Mark, diz que era capaz de ver o rosto do antigo Mitch desde o primeiro dia.

"Não sabia como eu ia reagir, mas quando atravessei a porta do hospital, vi que era ele, meu irmão", disse.

A mulher de Mitch, Katerina, é uma ex-colega de escola que ele começou a namorar muitos anos atrás, antes do transplante. Katerina disse que já havia aceitado o fato de que seu companheiro tinha um rosto deformado, embora percebesse que ele era infeliz e evitava sair de casa.

Questionada sobre o fato de beijar os lábios de um morto - o dono original do rosto -, ela diz: "Nunca o beijei nos lábios antes." "É simplesmente louco quão longe a ciência chegou e o que eles conseguem fazer. É simplesmente incrível", afirma Katerina.

Mitch diz que as sensações estão voltando e que ele consegue, por exemplo, elevar as sobrancelhas, fazer bico e sorrir.

"Ainda tem um pouco de pele de sobra em alguns lugares", afirma. "Mas me disseram que no fim vou ficar parecido com o que era."

O médico, Pomahac, diz que o quadro deve melhorar aos poucos, em especial no que tange às sensações.

"A primeira sensação se desenvolve no primeiro ou segundo mês. Ainda é muito pequena, mas continua a melhorar", diz. "Por volta dos 18 meses, espero que Mitch estará se sentindo próximo do normal."
BBC BRASIL

Com Falcão como pastor pop-star e vocalista do Natiruts como assaltante, "Um Assalto de Fé" satiriza igrejas evangélicas


  • Cena do filme Um Assalto de Fé, de Cibele Amaral
    Cena do filme "Um Assalto de Fé", de Cibele Amaral
Três pilantras pés-rapados, uma igreja evangélica não exatamente idônea e um plano de assalto – é essa a receita da comédia “Um Assalto de Fé”, estreia da diretora brasiliense Cibele Amaral na direção de longas-metragens, que chega aos cinemas nesta sexta-feira (2), depois de ser exibida nos festivais de Brasília e do Rio em 2010, com o título de “O Galinha Preta”.

Com potencial para causar polêmica entre evangélicos, o filme tem Alexandre Carlo, vocalista do Natiruts, como protagonista, além da participação do cantor e humorista Falcão como um pastor pop-star.

Falcão, que já fez graça com religiões em músicas como “Onde Houver Fé, que Eu Leve a Dúvida”, conta que existe muita expectativa sobre como sua atuação como pastor. “Ainda não recebi críticas de evangélicos, porque o filme só está estreando agora, mas estou preparado. O cinema em geral é feito para criar discussão. Achei muito interessante o roteiro e a critica que o filme faz dessas igrejas mafiosas”, diz Falcão, que também compôs as músicas que seu personagem canta no filme, junto com o diretor musical Patrick de Jongh.

Um Assalto de Fé

Foto 5 de 5 - Alexandre Carlo, vocalista do Natiruts, vive Galinha Preta, o protagonista do longaDivulgação

O roteiro de “Um Assalto de Fé” se baseia no conto “Trabalho do Galinha Preta”, do escritor e músico brasiliense Evandro Vieira, e acompanha os ex-assaltantes Galinha Preta (Alexandre Carlo) e Lapão (Lauro Montana), que estão na pior, durante o planejamento e execução de um assalto a uma igreja evangélica, proposto por outro malandro, Jerônimo (André Deca), que se infiltrou na congregação para planejar o roubo. O longa foi rodado na cidade-satélite de Brasilândia.

Alexandre conta que o convite para viver o protagonista da comédia surgiu depois de o marido da diretora Cibele Amaral ter trabalhado na produção de um DVD do Natiruts. “Frequentei a casa deles algumas vezes. Foi no jeito de me expressar, no meu estilo de ser, que ela viu que o personagem caberia”, diz.

O filme é a estreia do músico no cinema, que diz ter receado em aceitar o papel, por não ser ator e nunca ter estudado técnicas de atuação. “Mas antes da técnica vem a arte, a beleza de você soltar a sua imaginação e transmitir isso através do corpo, da voz, seja como for”, afirma Alexandre. “Foi dentro dessa ótica que me guiei para aceitar o convite. O personagem é o típico estereótipo do negro da periferia, quase uma caricatura do gueto. Fala palavrões, tem aquele jeito de bandido destemido, mora numa favela. Fazer esse papel sempre é mais fácil para qualquer negro. Apesar de contrariar isso na vida real, aceitei por se tratar de uma comédia, onde tudo vai soar como brincadeira”.

TRAILER DO FILME "UM ASSALTO DE FÉ"


Falcão, por outro lado, já tinha feito algumas pontas em filmes de diretores cearenses, como “A Saga do Guerreiro Alumioso” (1993) e “Lua Cambará - Nas Escadarias do Palácio” (2002), ambos de Rosemberg Cariry. “Essa participação foi um pouco maior”, conta Falcão. “Foi muito legal, porque eu adoro cinema. É diferente de teatro e TV. É mais gostoso. Se eu tivesse me engajado e estivesse nos Estados Unidos, não tinha Robert de Niro que me segurasse”, brinca.

O cantor conta que tem um projeto antigo de fazer um filme, ao qual espera poder se dedicar em 2012. “Seria uma viagem por todo Brasil atrás de tudo que é brega. Uma verdadeira saga ‘bregoriana’, roteirizada e protagonizada por mim, mas dirigida por outra pessoa. Preciso encontrar um cara que seja doido, mas competente”.

Alexandre, que fez uma turnê por 13 países com o Natiruts em 2011, ainda não tem planos de voltar a trabalhar no cinema e está se preparando para gravar o acústico da banda em janeiro, no Rio, que deve ser lançado ainda no primeiro semestre de 2012.

Com Falcão como pastor pop-star e vocalista do Natiruts como assaltante, "Um Assalto de Fé" satiriza igrejas evangélicas


  • Cena do filme Um Assalto de Fé, de Cibele Amaral
    Cena do filme "Um Assalto de Fé", de Cibele Amaral
Três pilantras pés-rapados, uma igreja evangélica não exatamente idônea e um plano de assalto – é essa a receita da comédia “Um Assalto de Fé”, estreia da diretora brasiliense Cibele Amaral na direção de longas-metragens, que chega aos cinemas nesta sexta-feira (2), depois de ser exibida nos festivais de Brasília e do Rio em 2010, com o título de “O Galinha Preta”.

Com potencial para causar polêmica entre evangélicos, o filme tem Alexandre Carlo, vocalista do Natiruts, como protagonista, além da participação do cantor e humorista Falcão como um pastor pop-star.

Falcão, que já fez graça com religiões em músicas como “Onde Houver Fé, que Eu Leve a Dúvida”, conta que existe muita expectativa sobre como sua atuação como pastor. “Ainda não recebi críticas de evangélicos, porque o filme só está estreando agora, mas estou preparado. O cinema em geral é feito para criar discussão. Achei muito interessante o roteiro e a critica que o filme faz dessas igrejas mafiosas”, diz Falcão, que também compôs as músicas que seu personagem canta no filme, junto com o diretor musical Patrick de Jongh.

Um Assalto de Fé


Foto 5 de 5 - Alexandre Carlo, vocalista do Natiruts, vive Galinha Preta, o protagonista do longaDivulgação

O roteiro de “Um Assalto de Fé” se baseia no conto “Trabalho do Galinha Preta”, do escritor e músico brasiliense Evandro Vieira, e acompanha os ex-assaltantes Galinha Preta (Alexandre Carlo) e Lapão (Lauro Montana), que estão na pior, durante o planejamento e execução de um assalto a uma igreja evangélica, proposto por outro malandro, Jerônimo (André Deca), que se infiltrou na congregação para planejar o roubo. O longa foi rodado na cidade-satélite de Brasilândia.

Alexandre conta que o convite para viver o protagonista da comédia surgiu depois de o marido da diretora Cibele Amaral ter trabalhado na produção de um DVD do Natiruts. “Frequentei a casa deles algumas vezes. Foi no jeito de me expressar, no meu estilo de ser, que ela viu que o personagem caberia”, diz.

O filme é a estreia do músico no cinema, que diz ter receado em aceitar o papel, por não ser ator e nunca ter estudado técnicas de atuação. “Mas antes da técnica vem a arte, a beleza de você soltar a sua imaginação e transmitir isso através do corpo, da voz, seja como for”, afirma Alexandre. “Foi dentro dessa ótica que me guiei para aceitar o convite. O personagem é o típico estereótipo do negro da periferia, quase uma caricatura do gueto. Fala palavrões, tem aquele jeito de bandido destemido, mora numa favela. Fazer esse papel sempre é mais fácil para qualquer negro. Apesar de contrariar isso na vida real, aceitei por se tratar de uma comédia, onde tudo vai soar como brincadeira”.

TRAILER DO FILME "UM ASSALTO DE FÉ"


Falcão, por outro lado, já tinha feito algumas pontas em filmes de diretores cearenses, como “A Saga do Guerreiro Alumioso” (1993) e “Lua Cambará - Nas Escadarias do Palácio” (2002), ambos de Rosemberg Cariry. “Essa participação foi um pouco maior”, conta Falcão. “Foi muito legal, porque eu adoro cinema. É diferente de teatro e TV. É mais gostoso. Se eu tivesse me engajado e estivesse nos Estados Unidos, não tinha Robert de Niro que me segurasse”, brinca.

O cantor conta que tem um projeto antigo de fazer um filme, ao qual espera poder se dedicar em 2012. “Seria uma viagem por todo Brasil atrás de tudo que é brega. Uma verdadeira saga ‘bregoriana’, roteirizada e protagonizada por mim, mas dirigida por outra pessoa. Preciso encontrar um cara que seja doido, mas competente”.

Alexandre, que fez uma turnê por 13 países com o Natiruts em 2011, ainda não tem planos de voltar a trabalhar no cinema e está se preparando para gravar o acústico da banda em janeiro, no Rio, que deve ser lançado ainda no primeiro semestre de 2012.