7 de dez. de 2012

NOVO TEXTO - DEVANEIO 2: O (I)MORAL IGNÓBIL 1.1


Quimerizando: Santiago Vasconcelos

O (I)MORAL IGNÓBIL 1.1 

No devaneio 1.0, em nossa versão beta, alguns assuntos ficaram nas entrelinhas horizontais e verticais da hermenêutica. Portanto, resolvi ir além.
No plano do reinado ignobilis immoralis está previsto a implementação de um aparelho ideológico de esconder o lixão embaixo do tapete da casinha de brinquedo da Barbie.  Atitude historicamente semelhante a dos ditadores. Ocorre que a plebe não é como imagina o ignóbil Rei sem reinado. A plebe é o antônimo adjetivalmente do Rei.

SAPIÊNCIA, SANTA PACIÊNCIA...

O ignóbil em seu exercício constitucional da ignorância está esparramando-se cada vez mais. Ele agora deu para querer explicar a crise econômica mundial. Ele é um exemplar autêntico de falta de senso do ridículo. Normal, tudo normal, esperar o que?  
E A BOBA?
É uma incógnita! Há várias especulações sobre o destino da boba. Uns acreditam que ela passará algum tempo prestando seus serviços horizontais ao Rei deposto, mas logo fugirá, afinal, ele deixará de ter áurea reluzente. Outros crêem que ela vai deslizar como peixe cobra ensaboado e permanecer como serviçal bucal onde está. Outra linha especulativa devaneia rumo à direção, estilo linha de trem, do mais do mesmo, ou seja, troca-se o Rei não os serviços prestados a ele. Será?

MOMENTO DE DESANUVIAR A MENTE

Segundo um desses dicionários online de português, o significado de Ignóbil:
“adj.m e adj.f. Característica do que é baixo, vil, que infringe as leis da moral: indivíduo ignóbil, comportamento ignóbil. 
Que é de uma baixeza repugnante: procedimento ignóbil.
Que desrespeita o belo, que causa aversão ou nojo: atitude ignóbil.
 (Etm. do latim: ignobilis)”
Os sinônimos de uma palavra são muito esclarecedores sobre seu significado, então vejam o de ignóbil: “abjeto, asqueroso, baixo, desprezível, imundo, infame, nauseabundo, nojento, repelente, sórdido, sujo, torpe e vil”.

DIAS MELHORES...?

Estou à espreita que amanhã será outro dia bem menos vil. Sempre fui esperançoso que as pessoas podem melhorar, dou tino a elas. Quem traz ajuda nesse momento é o filósofo Arthur Schopenhauer, pois, segundo ele “a ignorância só degrada o homem quando se encontra em companhia da riqueza”. Como há a grande possibilidade do Rei do Baralho (etc. e tal) torrar toda riqueza surrupiada da plebe, sua ignorância será insignificante e, como diz o rapper Gog, ele deixará de ser “assassino social”.

E O DISSE/NÃO DISSE 1.1

O ... (sem codinome (?) apropriado no momento por falta de tempo) não suporta atitudes progressistas, inclusivas, justas, democráticas ...  (ele deve se achar com aquilo roxo, com sangue azul em suas veias).  Inimigo explicito da educação, mas sempre tentando esconder sua verborragia, ele agora está vomitando suas convicções démodés    (contra fatos não adianta argumentar em contrário). O mais incrível de tudo é que ele agora está falando de “consciência política”. É isso mesmo caro leitor devaneado, pode ficar em êxtase abduzídico. 

VACAS DA PLANÍCIE PLATINA

Ele está mesmo mais desvairado que esse devaneador! Esse sem codinome acha que escreve e fala para suas vacas (vagas?) da planície do extremo oriental do reinado ignóbil? Para um imoral, sem qualquer probidade, usurpador, “assassino social”... fica mais que doloso inventar de tratar de consciência política. Não trate a plebe como ignorantes, lembre-se que esse mundinho só cabe você e os seus assemelhados. Consciência política kkkkkkkkk, desculpa, não consigo kkkkkkkkkkkkkkk com... kkkkkkkkkk controlar... kkkkkkk......
Quem são eles? [preencha no mundo da imaginação], quem eles pensam que são? [os caras...???  preencha, fantasiem caro leitor]. 

ATENÇÃO

O vozdepedra.com informa que faltam 24 dias, xx horas, yy minutos e zz segundos. Esses dias que faltam pode ser para muita coisa, não vou devanear agora, fica para depois.

NUNCA ESQUEÇA: qualquer semelhança (sempre?) é mera coincidência.


No devaneio musical, vamos viajar pensando "quem são eles/quem eles pensam que são"... 

3ª DO PLURAL
ENGENHEIROS DO HAWAII

Corrida pra vender cigarro
Cigarro pra vender remédio
Remédio pra curar a tosse
Tossir, cuspir, jogar pra fora
Corrida pra vender os carros
Pneu, cerveja e gasolina
Cabeça pra usar boné
E professar a fé de quem patrocina
Eles querem te vender,
Eles querem te comprar,
Querem te matar (de rir),
Querem te fazer chorar
Quem são eles?
Quem eles pensam que são? (4x)
Corrida contra o relógio
Silicone contra a gravidade
Dedo no gatilho, velocidade
Quem mente antes diz a verdade
Satisfação garantida
Obsolescência programada
Eles ganham a corrida
Antes mesmo da largada
Eles querem te vender,
Eles querem te comprar
Querem te matar (a sede),
Eles querem te sedar
Quem são eles?
Quem eles pensam que são? (4x)
Vender, comprar, vendar os olhos
Jogar a rede... contra a parede
Querem te deixar com sede
Não querem te deixar pensar
Quem são eles?
Quem eles pensam que são? (2x)
Quem são eles?

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu comentário aqui.