25 de fev de 2013

MÁ NOTÍCIA: Chuvas podem ficar abaixo do normal no semiárido nordestino


Estudo realizado por meteorologistas do Governo do Estado, em parceria com especialistas em análise e previsão do tempo de todo o país, concluiu que as chuvas podem ficar abaixo do normal no semiárido nordestino durante os próximos três meses. O relatório foi finalizado na sexta-feira passada (22), na Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte, em Natal.
De acordo com a meteorologista da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), Marle Bandeira, que participou do encontro por meio de vídeo-conferência, os resultados dos estudos são divulgados em forma de probabilidades.  "As chances das chuvas ficarem abaixo do normal são de 40%. Já a perspectiva das precipitações permanecerem dentro do padrão normal é de 35%. Há ainda 25% de probabilidade de chover acima da média histórica", informou, ressaltando que os números foram consenso entre os meteorologistas que produziram o relatório.
O relatório foi elaborado para o setor Norte da região Nordeste, que no caso da Paraíba, abrange o Sertão, Cariri e Curimataú.  "É importante destacar que não estamos falando da previsão para todo o nosso Estado. De modo geral, as outras regiões devem ter chuva dentro da média histórica, apenas no semiárido é que temos essa possibilidade de chover abaixo do normal", destacou Marle.
A média histórica de chuva em todas as regiões da Paraíba está disponível no site da Aesa (www.aesa.pb.gov.br), onde também podem ser encontradas outras informações sobre análise e previsão do tempo.
Instituições - O documento que atualizou o prognóstico de chuvas foi produzido em conjunto pelos técnicos do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE), da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) e dos núcleos de meteorologia dos estados no Nordeste.

Secom

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu comentário aqui.