30 de ago de 2013

APAGÃO:ARPB diz que Energisa tem parcela de responsabilidade em apagão

Presidente da ARPB afirmou que Energisa temparcela de responsabilidade no apagão(Foto: Daniel Peixoto/G1)
A Agência Reguladora do Estado da Paraíba (ARPB) deu uma parcela de responsabilidade à Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) e a Energisa pelo apagão que atingiu a Paraíba e os outros estados do Nordeste na tarde desta quarta-feira (28). Em coletiva de imprensa, o presidente da agência, José Otávio Maia, afirmou que qualquer problema envolvido no serviço da distribuição de energia é competência da Energisa.

“Por conta da queimada, houve um problema na transmissão de energia, que acabou impossibilitando a distribuição no estado, por parte da Energisa”, explicou. Segundo ele, mesmo que o fator decisivo para o apagão não tenha sido proporcionado pela concessionária de energia, o seu serviço ficou desligado por um considerável tempo e causou diversos prejuízos, transformando-a em responsável indiretamente do acontecido.

Além disso, José Otávio informou que a ARPB já autuou a Energisa em cerca de R$ 30 milhões nos últimos 3 anos, decorrentes em diversos atos de infração, principalmente pelo não cumprimento de metas estabelecidas pela própria Agência Reguladora.
A assessoria de imprensa da Energisa informou que durante o processo de restabelecimento da energia foram obedecidos todos os procedimentos de operação orientados pela Operador Nacional do Sistema (ONS). "Tudo está registrado e se a ARPB quiser qualquer informação, que faça a solicitação. Com relação às nossas responsabilidades, estamos recebendo reclamações e vamos cumprir o que estiver na resolução, ressarcindo qualquer prejuízo se preciso".

Garantia

O diretor técnico e comercial da Energisa, Luís Eduardo de Oliveira, afirmou na manhã desta quinta-feira (29) que os clientes que tenham tido equipamentos danificados por conta do apagão ocorrido na quarta-feira (28) devem ser indenizados em até 30 dias. Até as 11h30, a Energisa recebeu cerca de 50 ligações com reclamações de clientes relacionadas, número considerado normal pela empresa considerando a extensão do problema.
O diretor explicou como os clientes devem fazer caso tenha tido equipamentos danificados por conta do apagão. “O cliente deve ligar para o nosso call center, informando o problema. Nós temos um prazo de um a dez dias para fazermos uma perícia. Em seguida, os clientes devem apresentar à empresa pelo menos três opções de orçamento. Se o processo ocorre de maneira ágil, a indenização ocorre num prazo que vai de 20 a 30 dias”, garantiu.


G1 PB

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu comentário aqui.