28 de ago de 2013

Médico Lavradense emite carta aberta a deputado paraibano

Solon Lira de Vasconcelos Neto
Excelentíssimo Deputado Luiz Couto

Três anos atrás, exatamente nos dias antecedentes à eleição na qual o senhor foi eleito deputado federal, eu tinha 21 anos de idade e estava na metade do curso de medicina. Nunca fui filiado a nenhum partido político e nunca defendi qualquer bandeira. Mas por ter acompanhado sua trajetória na Câmara dos Deputados, com amplo reconhecimento nacional que o fez figurar entre os mais atuantes parlamentares do país, e pela sua brilhante atuação na área de direitos humanos, fiz espontaneamente uma campanha em prol do senhor entre familiares. Juntamente com o meu, consegui uns 9 votos.

Então, dos 95555 votos que o senhor obteve, 9 o senhor agora já sabe como foram conseguidos. Também, submerso em um lamacento e pútrido mar de ignorância e ingenuidade votei na sra. que se intitula presidenta.

Estou profundamente nauseado, envergonhado e arrependido por esse passado vil e imprudente sobre os ombros. Eu dou plantões em hospitais quase todos os dias da semana, e assim como muitos brasileiros me acordo cedo, às vezes de madrugada porque me inquieta saber que tem alguém sentindo frio e com fome em frente a um hospital me esperando. Enquanto tomo meu café acompanho as primeira notícias do dia pelos sites e vez ou outra leio o Diário Oficial da União quando há assuntos relacionados a medicina.

Eu não aguento mais ver semanalmente aquela senhora assinar decretos, leis e tudo o que for possível para golpear a minha profissão. Eu não consigo mais nem pronunciar o nome do ministro da saúde. Vejo com placidez pessoas mortas e mutiladas por acidentes, pus saindo de corpos humanos, mas não consigo mais olhar, mesmo que seja pela televisão, e por poucos segundos, a cara dos ministros da saúde e da educação.

Que ódio dos médicos brasileiros é esse que o PT tem? Desde a época do Império até recentemente éramos respeitados e só vocês nos tratam assim.

O senhor que faz parte desse partido, me explique porque eu não consigo, por mais que reflita, entender esse ódio e essa tentativa truculenta de violentar nossa profissão. Já pensei tanto que nos caminhos devaniosos que a liberdade de pensamentos propicia pensei cá com meus botões que no passado negro da ditadura, médicos certamente devem ter tido algum papel reprovável na tortura de integrantes do PT, inclusive Dilma. Confesso está despido de todo sarcasmo e ironia ao propor tal assertiva, mas de fato, me sinto no direito de pensar qualquer coisa haja vista a ausência de explicações que me convençam.

Só sinto coisa parecida quando reflito sobre o ódio de Hitler em relação aos judeus. Já li livros, vi filmes e documentários, mas mesmo assim não entendo.

Devo me sentir culpado e com vergonha por ser médico? Meus colegas e eu somos burgueses imundos que visamos apenas o dinheiro e estamos alicerçados no sangue e suor dos proletários?

Quando vocês ficam doentes e quando a neta de Dilma precisa de um pediatra, como é a relação de vocês com os respectivos médicos assistentes?

Desde cinco anos de idade estudo a língua portuguesa e ainda hoje aprendo alguma coisa, quase que diariamente, mas ainda assim não a domino. Desde os 18 anos de idade que estudo medicina com foco nos problemas mais prevalentes no Brasil, e hoje o que sei não passa do que é observado através de um buraco de fechadura.

Mas o PT decidiu importar médicos e em TRÊS SEMANAS fazer um workshop e lhes ensinar língua portuguesa + medicina praticada no Brasil.

O que o senhor acha que eu sinto quando percebo que minha vida de estudos foi trocada por um workshop de três semanas? O que o senhor acha que sinto quando percebo que toda a abnegação dos meus pais foi trocada por três semanas? O que o senhor acha que um médico com 30 anos de experiência sente quando legalmente é equiparado a um "ching ling" traficado de Cuba e aportuguesado em três semanas? Vocês destroem a meritrocacia que constitui um dos pontos basilares de uma democracia moderna.

Pensando retrospectivamente percebo que alguns pontos nefastos agora fazem sentido. Vocês começaram dizendo que tínhamos poucas escolas de medicina, e escancaram as portas de novas faculdades. Vocês continuaram dizendo que tínhamos poucos médicos, mesmo após turmas terem se formado nessas novas escolas, então criaram o Mais Médicos para médicos brasileiros. Vocês dificultaram as inscrições dos médicos brasileiros nesse programa e então conseguiriam chegar a apoteose do plano maquiavélico: a repatriação de brasileiros formados no exterior e incapazes de passar no vestibular de medicina no Brasil e incapazes de passar no Revalida. Quanta imundície.

Serão esses os médicos que cuidarão de vocês? Ou serão eles que vão trabalhar como assassinos institucionalizados?

O estoque de atestados de óbitos do Ministério da Saúde está realmente preparado para atender a nova demanda? Quando eles matarem alguém, poderão atestar o óbito ou vão mandar para um médico? Vocês já decidiram como será o trâmite burocrático da condenação por assassinato desses estrangeiros? Ah, não serão condenados: ¡Fidel no permitirá, jamás!

O que defende e o que constitui essa instituição intitulada PT? A letra T significa o quê? Trabalhadores não pode ser. Talvez essa letra agora significa totalitário (para não cair na deselegância de usar outras palavras).

Vocês estão promovendo no Brasil um regime absolutista de deixar Luís XIV transformado em principiante. Embora talvez não machuquem as pessoas fisicamente como se faz nas ditaduras por meio da tortura, vocês estão tentando destruir sonhos. Sonhos destruídos aniquilam a esperança. Sem esperança de que cada dia será melhor que o outro, o que resta?

O partido totalitário vomita semanalmente leis asquerosas que me fizeram perder a esperança que o respeito seja mantido em relação à minha profissão. Quando se levantou essa ideia do plebiscito no outro dia Dilma estava em reunião com o presidente da OAB.

Quando o assunto é dilacerar, mutilar, destruir, aniquilar, menosprezar, humilhar e restringir a Medicina à sarjeta, vocês talvez se reúnem na surdina, por inspirações satânicas, e criam um novo golpe. E sabe porque vocês não falaram com os médicos quando vetaram a Lei do Ato Médico, quando criaram o Mais Médicos e chamaram os cubanos para cá? Pelo mesmo motivo que um assassino não planeja com sua vítima a arma que será usada em sua morte, e nem a parte do corpo que será atingida.

Eu fico angustiado e triste quando penso qual será o próximo passo. Vocês vão se usurpar do pouco patrimônio que constitui e dá aos cubanos? Vocês vão tomar meu carro, meu estetoscópio, minha geladeira e dá aos cubanos?
Vocês vão começar a torturar médicos por serem médicos? Vamos ser exilados e mandados aos penedos de São Pedro e São Paulo, em levas subsequentes até que todos nós definhemos por lá?

Vamos lá deputado, me diga, qual será o próximo passo?

Tenho medo profundo desse regime moderno travestido de democracia que está instalado no Brasil. Vocês improvisam leis, improvisam todas as artimanhas possíveis para sustentar os crimes perversos que vocês comentem contra nós. Desconheço uma violência tão angustiante quanto a institucionalizada pelo Estado. O PT se tornou algo tão ruim e perigoso a democracia brasileira que vários blogs "alternativos" pela internet cogitam a necessidade de uma ditadura militar já no Brasil. N ão quero isso, mas também não quero que vocês continuem no poder, porque se continuarem, a frágil e duvidosa democracia, mas mesmo assim democracia brasileira, terá o mesmo destino que uma pedra atirada às Fossas Marianas.

Na verdade já não acredito na democracia como melhor método para se governar. Partilho da opinião de Platão de que o poder deveria ser delegado aos mais sábios, que não sei quem são, mas com certeza não são os que estão ai. Mas como se diz, os eleitos são reflexo do seu povo, e nosso povo em sua maioria é analfabeta ou se saber ler, não pensa.

A realidade transforma-se na agonia de um afogado quando é preciso se defender o óbvio e correto. É como ter que persuadir alguém que ela vai se ferir se engolir um ferro em brasa.

Vejo aquela porcaria que restou da Lei do Ato Médico e não sei o que faz um médico. O meu Ato Médico se tornou minha consciência em detrimento de frases desconexas e carentes de significado. E minha consciência e meus valores, como a de qualquer médico que trilhou um caminho honroso até obter seu CRM é absolutamente maior do que os sentimentos vazios e medíocres de quem tripudiou e comemorou em cima da manutenção desses vetos. A cada frustrado, o lamento e a pena por sua dor travestida de felicidade momentânea.

Sou descendente de uma tradição milenar, revestida de uma rica cultura mitológica e religiosa que validam todo o respaldo e respeito que comunidades de todos os lugares, em todos os tempos, tem pelos seus médicos chamados em cada região por diferentes nomes. Aos criminosos, mesmo que sejam reis, ditadores ou partidos, a história lhes reservam o porão mais sombrio, e deixa como legado às gerações vindouras, a lição do que não se deve ser repetido.

O PT não é maior do que a História. O PT não é maior do que a Medicina. Um dia, o Partida Totalitário será relegado à sua medíocre condição de um objeto de porão, mas a Medicina, enquanto houver gente, e onde houver, prevalecerá ainda mais forte após ter superado este que tem sido o seu pior e mais covarde atentado no Brasil.


SOLON LIRA DE VASCONCELOS NETO 
FACEBOOK

6 comentários:

  1. Dr. Solon, parabéns! Sua revolta é + do que lógica. O que a Dilma, PT e demais aliados estão fazendo com a Saúde é um atentado ao Brasil, falta de respeito a população brasileira. Digo, falta de gestão. Ministro incompetente que não levar uma gestão voltada para resolver o problema da saúde no Pais. Deixa de dar condições aos profissionais da saúde e fazer com que os hospitais tenham condições de resolver os problemas de todos que procuram na ansiedade e confiança da solução do problema que está acometido. Então, amigo só resta, ainda para nós ter a confiança em vocês que se dedicam e amam uma profissão tão linda. Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Não entendo porque tanta hostilidade dos médicos brasileiros com relação aos médicos cubanos?! Do que vcs tem medo? Nenhum deles está tirando os seus empregos.
    A questão fundamental é simples: esses médicos que vaiam os
    cubanos que chegam , nasceram no berço de ouro, tirado do sangue da classe
    trabalhadora faz séculos. E mais do que nunca, agora se sentem ameaçados pelos
    verdadeiros médicos, que não tem nojo do povo, pois daqui vieram. Deveriam ter
    vergonha. Como estão envergonhados milhares de médicos em nosso país que
    trabalham com decência e dedicação aos pacientes. Não concordam com a máfia
    médica que deve ser afastada a bem do serviço público, com urgência e sofrer as
    penalidades da lei, pela ausência nos locais de trabalho e pelas consultas mais
    rápidas que um cometa. Basta frequentar as Faculdades de Medicina do Brasil e
    olhar no rosto da maioria dos estudantes, encarnam pela prepotência, 5 séculos
    de opulência. Alienados e reacionários. Ao extremo. É verdade, OS MÉDICOS
    CUBANOS não salvarão milhares de trabalhadores que morrem a míngua nos
    corredores dos hospitais e postos de saúde, pela falta de políticas públicas
    que criem as condições suficientes para o atendimento. Mas verdade ainda ensinará
    a população a não adoecer, o que afetará profundamente o esquema das
    multinacionais dos remédios. Que Dilma tenha a coragem de trazer milhões, o
    povo apoiará, inclusive a expulsar aqueles autoritários que substituídos pelos
    aparelhos de última geração, não sabem distinguir uma dor de barriga de outro
    problema.

    ResponderExcluir
  3. Trazer médicos sem dá estrutura será que resolve mesmo? Assista o Profissão repórter que passou ontem e veja a verdadeira necessidade da população. Médicos sem equipamentos e sem condições de trabalham só podem fazer o que mãe Diná, curandeiros e alguns pais de santo fazem, ou fingem que fazem: adivinhar!

    O governo não está pensando no bem-estar dos mais necessitados e sim, numa nova forma 'velada' de compras de voto daqueles sem instrução e sem entendimento suficiente para enxergar que tudo não passa de uma tentativa de reeleição. Enquanto houver "programas de bolsas", seja lá de que forma for, esse país não irá pra frente!

    ResponderExcluir
  4. Sugiro que assistam essa matéria: http://g1.globo.com/profissao-reporter/noticia/2013/08/medicos-mostram-dificuldade-para-atender-pacientes-nos-hospitais.html

    Será mesmo que os médicos são "playboyzinhos" e " corporativistas" e estão lutando apenas pela classe? Pelo que vejo e pelo pouco que entendo, a luta é pela melhoria dessas condições mostradas! Será mesmo que alguém que fosse " filhinho de papai" aceitaria submeter-se a essas condições de trabalho? Será que esses médicos não trabalham por amor?Mas eles não podem mudar as condições, infelizmente! Mas o que o governo faz para mudar essas condições? Será que 10000 médicos vão resolver a falta de leitos?! Com a vinda desses médicos, o aumento será de APENAS

    ResponderExcluir
  5. Profissional de saude29 de agosto de 2013 15:16

    Um desabafo muito coerente, pena que o texto é anonimo...Sou profissional de saúde, e como tal, percebo a fragilidade do SUS e de todo o arcabouço que rege as políticas públicas voltadas as áreas vitais, como saúde e educação no Brasil...Porém, ainda assim, vivendo na pele os dois lados (profissional e usuária), não consigo entender o porque de tanta hostilidade e agressividade vinda de vários médicos brasileiros contra os médicos estrangeiros ...Leio esse texto e me deparo com tanta demagogia, inspirada em uma ira de cunho político tão forte, que durante a leitura, até surge um sentimento ruim ao ler os trechos do texto (extremamente agressivos) do médico acima. Infelizmente, essa não é a melhor saída (O Mais Médicos do Governo Federal), porém, foi a única saída...Como conviver em um universo, onde nunca o valor ofertado por um município para um profissional médico é suficiente? Não há consenso que o faça vir trabalhar no interior? Se isso não vem a ser um mercenário (não me referindo ao titular do texto, mas de maneira em geral), não imagino qual adjetivo classificar...Pedra Lavrada, Picuí, Frei Martinho, e tantos outros municípios sofrem a realidade de ter que PAGAR mais que o valor de mercado a profissionais médicos, e quando encontra-se um disposto a dar plantões no interior...É uma realidade que dia-a-dia os mais necessitados vivem e o pior, sem previsão de término...Portanto, talvez fosse mais honesto de nossa parte reconhecer o empenho, independente de cor ou credo partidário e tomarmos para nós a responsabilidade de fazer valer a pena a vinda desses também profissionais, que também estudaram e também estão ralando, caso não seja louvável em seu entender a vinda de tais médicos cubanos, ching-ling, venezuelanos, ou de qual nacionalidade sejam, sugiro uma excelente saída: quem tem diploma em medicina, devem começar a buscar as suas cidades natal e usar de todo esse amor, patriotismo e preocupação pelo seu povo para exercer a sua profissão de médico servindo aos seus conterrâneos. Seria, e é uma excelente saída...Médicos brasileiros, saiam dos grandes centros e dos exorbitantes salários e venham passar um dia andando em estradas de chão e atendendo a toda e qualquer patologia....Ai sim, eu acreditarei em tamanha preocupação, se assim, não o for, continuaremos com a certeza, de que tudo isso não passa de tumulto político e orgulho ferido.

    ResponderExcluir
  6. Tinan, prfessor da gota, tú escreves errado demais, veja: "...Então, amigo só resta,..." Não sabes nem usar uma vírgula.
    João Cassiano

    ResponderExcluir

Faça seu comentário aqui.