28 de ago de 2013

Meteorito sofreu 'fusão intensa' antes de explodir na Rússia

O meteorito que caiu em fevereiro passado sobre a região russa de Tcheliabinsk sofreu um "processo de fusão intensa" por ter passado junto ao Sol, ou se chocado antes com outro planeta, revela um estudo publicado nesta terça-feira (27).

 Alguns dos fragmentos encontrados nos Urais russos mostram que o meteorito sofreu um "processo de fusão intensa" mesmo antes de entrar na atmosfera terrestre, quando ainda era um asteroide , destaca a análise dos investigadores do Instituto de Geologia e Mineralogia de Novosibirsk (IGM), na Rússia.

"Isto significa, com segurança, que ocorreu uma colisão entre o 'meteorito de Tcheliabinsk' e outro corpo do Sistema Solar [como um asteroide ou um planeta], ou que ele passou perto do Sol", disse Victor Chariguin, do IGM, que deve apresentar suas conclusões na Conferência de Geoquímica Goldschmidt, em Florença, na Itália.

A chuva de meteoros ocorreu no dia 15 de fevereiro, após a explosão de um asteroide, que tem diâmetro estimado em 17 metros e entre 5.000 e 10 mil toneladas, a cerca de 20 quilômetros de altitude da região russa.

Além dos milhares de pequenos fragmentos de rocha que atingiram a Terra, foi a onda de choque da desintegração que causou os danos mais importantes na cidade, ferindo mais de mil pessoas.

Muitos fragmentos caíram na região de Tcheliabinsk, mas acredita-se que o maior pedaço ficou no lago Chebarkul, onde alguns cientistas tentam localizá-lo.


AFP


0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu comentário aqui.