16 de set de 2013

GATO VIRTUAL: Cerca de 7,1 milhões de brasileiros usam internet wi-fi do vizinho, diz estudo

Por volta de 6,9% dos internautas do país (7,1 milhões de pessoas) não assinam um serviço de internet e usam banda larga "emprestada" de algum vizinho, segundo um estudo divulgado nesta segunda-feira (16) pelo Instituto Data Popular. De acordo com a Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil) o Brasil tem cerca 21,4 milhões de pontos de acesso de banda larga fixa.

A pesquisa sobre compartilhamento de banda larga foi realizada on-line em junho e abrange 2.000 pessoas de cem cidades de todos os Estados. A referência do número de internautas é de uma informação do Ibope publicada no primeiro trimestre deste ano, que apontava para 102,3 milhões de pessoas.

Pertence à classe média a maior parcela de pessoas que adotam tal prática, com cerca de 10%, ante 4% de internautas tanto da classe alta quanto da classe baixa que usam uma conexão compartilhada.

Segundo a organização responsável pelo estudo, isso acontece porque os assinantes de banda larga mais pobres não pagam por um plano rápido o suficiente para ser usado por outras pessoas.

Já na classe média, diz o Data Popular, a qualidade da conexão não cai se ela for compartilhada, já que é mais rápida. Segundo Renato Meirelles, que dirige o instituto, isso indica que membros da classe média têm "vínculos sociais mais estreitos" com seus vizinhos.

"Nesse caso, uma pessoa faz a assinatura de internet de banda larga e rateia a conta entre dois ou três vizinhos", disse Meirelles na nota que divulgou a pesquisa.

A organização também segmentou os resultados por região: na Sudeste, com 8%, se concentra o maior número de usuários de internet compartilhada, seguida por Norte (7%), Nordeste (6%) e Centro-Oeste (5%) e Sul (5%).

Na última sexta-feira (13), o Tribunal Regional Federal da 1ª região rejeitou um recurso apresentado pelo Ministério Público que tipificava o compartilhamento de uma conexão de internet como crime. O MP ainda pode apelar.

UOL

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu comentário aqui.