5 de mai de 2014

BOA NOTÍCIA: Chuvas aumentam volume de água do açude de Boqueirão na Paraíba

Números da Aesa mostram manancial com 132.675.816 metros cúbicos (m³) de água, que representa 32,2% de sua capacidade total

As precipitações acumuladas de janeiro a abril na região do Cariri já são maiores do que as registradas no mesmo período de 2012 e 2013, segundo informou a Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa). As chuvas acima da média histórica também provocaram uma recarga no açude Epitácio Pessoa, localizado em Boqueirão, e que abastece 19 municípios, entre eles Campina Grande. Da última terça-feira para a quinta-feira foram registrados 22 centímetros de aumento na lâmina do manancial, água suficiente para o abastecimento da população durante três semanas.

De acordo com o último registro (no início da manhã de ontem), o manancial estava com 132.675.816 metros cúbicos (m³) de água, que representa 32,2% de sua capacidade total, que é de 411.686.287 m³. Segundo o coordenador do Departamento de Obras contra a Seca (Dnocs), em Boqueirão, Everaldo Jacobino, embora não tão significante, houve esse aumento na lâmina, apesar de já ter estagnado ontem. Ele informou que o açude recebe água do Rio Paraíba e Taperoá e com as chuvas na região caririzeira, o açude está conseguindo aumentar um pouco a sua lâmina.

Embora isso aconteça, ele informou que a irrigação já está praticamente parada, restando ainda a liberação para alguns pequenos produtores que estão em fase de colheita. Conforme a Aesa, além do Cariri, também foram registradas chuvas acima da média nas regiões do Curimataú, Sertão e Alto Sertão da Paraíba. Entre as cidades onde ocorreram os índices pluviométricos mais significativos estão: Santa Terezinha (817,4 milímetros (mm)), Princesa Isabel (743,7 mm), Cajazeiras (765,7 mm), Patos (702,5 mm), Bom Jesus (700,8 mm), Mato Grosso (687,7 mm), Catolé do Rocha (696,5 mm), São Mamede (692.5mm) e Serra Grande (688,9 mm).

Para o gerente de Monitoramento e Hidrometria da Aesa, Alexandre Magno, as chuvas ocorridas em 2014 foram substancialmente mais significativas que nos dois anos anteriores. Ele contou que enquanto em 2013 e 2012, os desvios oscilaram próximos a 50% abaixo da média, este ano as chuvas ocorreram dentro dos padrões de normalidade.

A previsão indica que para os próximos três meses as chuvas acontecerão dentro da normalidade nas regiões do Litoral, Brejo e Agreste, contudo, em áreas isoladas, as precipitações poderão ficar acima da média histórica. A previsão para hoje é chuvas em todas as regiões do Estado.

Jornal da Paraíba