28 de ago de 2014

Professor de Nova Palmeira diz que sofre perseguição em escola municipal; Vejam


Nesta quinta-feira (28/08), o ex Secretário Municipal de Educação do município de Nova Palmeira/PB, professor Alex Barros, foi vítima de perseguição política em seu ambiente de trabalho na EMEF Iran Coelho Dantas da Rede Municipal de Ensino.

O ex secretário retornou suas atividades do magistério na referida escola, desde o dia 1º de agosto. No entanto, estava lecionando nas quintas-feiras e sextas-feiras de cada semana. Com a suposta nomeação da nova vice-diretora, professora 'Ceiça' Costa a essa unidade de ensino, fui 'forçado' a assumir aulas nas segundas-feiras e quartas-feiras, dias esses que o professor Alex Barros cumpre com suas obrigações do magistério na escola estadual desse município. Ou seja, confrontando os horários.

Ao mesmo tempo, o governo municipal descumpre a Lei do Nepotismo, pois o atual Secretário Municipal de Esportes, Juscelino Costa é  irmão da referida futura vice-diretora. 

Professor Alex Barros (Biologia/Ciências)

"Diante de tudo que fiz(emos) pela a educação do município de Nova Palmeira-PB, com tantas conquistas em tão pouco tempo, foi a maior decepção que senti em toda minha trajetória profissional. Me senti como um intruso na escola, como um alguém que não tinha nem se quer o poder de reação. Recebi um 'bombardeio' de alguns professores, insinuando que minha volta a escola seria um problema. Professores que talvez não saibam entender a essência da responsabilidade que assumem diante das crianças, adolescentes, jovens e adultos. 

Queriam me forçar a deixar a Rede Estadual de Ensino, onde os atos legais desse país ainda permite acúmulo de cargo do magistério, na condição de está apto a lecionar em duas escolas com disponibilidade de tempo adequado. 

Procuro cumprir com minhas obrigações. Sempre defendi a socialização entre meus colegas professores para que ninguém pudesse ser prejudicado, diante de toda minha passagem como gestor da Semec - Nova Palmeira. Mantive a fidelidade aos meus superiores prefeitos que me puseram como responsável pela pasta que assumi. Se hoje tenho direito de escolher os meus candidatos é porque sou cidadão e que entendo que vivo num país 'democrático'. 

A 'falência' da educação não está apenas nos investimentos. A falta do compromisso, o 'faz de conta' de ser professor, a gestão escolar e a impunidade, castiga crianças e adolescentes que são os únicos inocentes da história", finaliza o professor Alex.

Caberá as instâncias defensoras dos servidores públicos, o controle social e até mesmo a justiça comum, tomar as providências cabíveis ao caso.

Porém, diante de toda situação, o professor prejudicado recorreu  a diretora Poliana da rede estadual de ensino e as lideranças políticas locais para expor tal situação, e eles foram sensíveis ao problema, manifestando extrema indignação ao fato ocorrido.

Redação: Alex Barros
Nova Palmeira/PB Notícia